Do Lado de Cá do IC – Chegaram os Cabos

Novidades cocleares quentinhas: Hoje a tarde chegou uma encomenda da Cochlear pelo correio. Recebi, mas não abri.

Agora, faz uns 40 minutos que meus amores chegaram (chegaram 19h40 por causa do transito…) e eu não pude gravar o “unboxing”, como diz Ricardo Mallen, porque a porcaria da bateria do celular e da camera foram pro beleléu, mas, enfim, chegaram os fios que possibilitam saber COMO o Lobo ouve.

GENTE!! É SURREAL!!! Tem ainda um pouco de eco, meio baixo e precisa de um pouco mais de definição para algumas tonalidades, mas é igualzinho ao que ouvimos!!!

Também chegou o cabo para ligar em celular, tv, Iphone, radio, computador e… BATERIA!!! (que ele já testou em todos.)
#ThanksGod.
Ele agora tá lá na bateria batucando feito um doido e tá tão silencioso em comparação com a batuqueira que era aqui em casa… Diego De La Vega tu tem que vir aqui pra ver isso…

E eu, que estou num dia “manteigão”… Já fiquei com os olhinhos marejados aqui… Principalmente na hora em que Laurinha estava com os fones ouvindo como é que é o som que o papai escuta… Depois tiro umas fotos dos cabos que chegaram e de como são utilizados.

É isso, amados! Agora ele vai começar a ouvir os seriados dele com o fone. Certamente vai voltar a tentar entender o inglês. Agora com muito mais sucesso!!!
#BãoBisurdo !!!

Obs.: E ele tá aqui enfiando o tal cabo do fone no pc e quer um barulho pra ouvir… #Sinhoradabadia
Obs.2: Ele conseguiu conversar por mais de 20 minutos com o Diego De La Vega pelo google talk SEM AJUDA !! Claro que rolou uma dor de cabeça enorme no final, mas ele ficou muito feliz com isso.

Anúncios

Do Lado de Cá do IC – Alegrias Ocultas

Sabe aquelas coisas que fazem o passado ser “um tempo bom que não volta mais”?

Sabe quando você esquece tudo o mais, mas sempre tem aquela lembrança boa de uma coisinha boba, um acontecimento sem maiores proporções que atualmente é o que traz a nostalgia?(para os que não sabem, eis a diferença entre “mais” e “mas”. Hehehehe)

E quando você pensa: “Nooossa… Eu era feliz e não sabia…”, ou “Mas como uma coisa tão boba na época, hoje me parece tão gostosa de lembrar…”

Pois é… Essas são as chamadas Alegrias Ocultas. Aquelas que, singelas e quase silenciosas,  passam despercebidas, porque não somos acostumados a prestar atenção no que é realmente importa, só no que é apoteótico e luminescente.

Continuar a ler